Como escolher os sócios ideias para seu empreendimento de beleza

Como escolher os sócios ideias para seu empreendimento de beleza

Manter uma sociedade não é fácil. São relativamente comuns os casos de problemas entre sócios de empreendimentos de beleza que acabaram tendo que terminar o negócio ou partir para o voo solo. Em compensação, uma andorinha só não faz verão – e isso é a mais absoluta verdade. Como então escolher o sócio certo? Esta é uma questão complicada em qualquer área, mas especificamente neste nicho, os sócios do salão de beleza precisam realmente gostar muito do que fazem.

Começar um negócio não é a coisa mais fácil do mundo, mas sozinho pode ser muito pior – afinal, ninguém consegue abraçar o mundo com as pernas. Na sociedade, além da divisão de gastos, problemas e lucros, deve haver também todo um suporte de conhecimento, de forma que um complemente o outro, e ambos tenham o mesmo grau de envolvimento na empreitada. Veja algumas dicas para encontrar um sócio e garantir uma parceria de sucesso.

1 – Procure alguém que complemente seus conhecimentos

Ter o perfil diferente do seu é bastante proveitoso em uma sociedade, porque assim cada um complementará a área em que o outro é mais fraco. No entanto, vocês devem concordar em relação aos mecanismos para fazer o salão crescer – quais os tipos de investimentos e a fatia do orçamento que cada ação receberá (marketing, ações, equipamentos, títulos e bolsa de valores etc) – quem ficará responsável pelo o quê (contratações, cursos, representação nos eventos de beleza, compras) – e, principalmente, o que espera alcançar com o empreendimento.

Sim, porque para um a meta pode ser apenas tirar o suficiente para viver razoavelmente bem, passando o máximo de tempo coma família; para o outro a meta pode ser criar uma grande rede nacional de salões em todas as capitais do país, custe o que custar. Alinhem os objetivos para não terem problemas!

2 – O que você deve saber sobre seu futuro sócio

Uma forma de evitar problemas é fazendo uma pequena pesquisa a respeito do candidato a sócio. Levante aspectos que podem ser conflituosos entre vocês, como, por exemplo, os valores que o norteiam e seus princípios éticos, o grau de ambição, habilidade interpessoal de se relacionar com sócios, funcionários e clientes, a visão a respeito do futuro do empreendimento, em que essa sociedade será vantajosa para o crescimento do salão.

Por outro lado, deixe bem claro o montante que cada um investirá e a sua parte na sociedade, qual a função de cada um na rotina do salão, a definição das retiradas de cada um e a periodicidade, a possibilidade ou não de ter parentes na empresa, a disponibilidade caso um tenha que ausentar. Não esqueça que estes princípios básicos da sociedade devem constar do contrato social e são uma garantia para ambos no caso de alguma coisa não sair como esperado.

3 – Amizade x Coleguismo

Vocês já trabalham juntos há anos no mesmo salão e agora decidiram partir para o negócio próprio, é uma ótima ideia. Mas amizade e coleguismo profissional são duas coisas completamente diferentes de sociedade, acredite. É preciso criar mecanismos de comprometimento, como atrelar o pro-labore ao lucro do salão. Procure também alinhar expectativas. Um salão de beleza é um local onde a vaidade está sempre à flor da pele dos clientes, dos funcionários, dos sócios.

E isso pode ser um problema quando as expectativas não estão bem alinhadas: um é mais expansivo do que o outro e consegue mais clientes, mas espera que o sócio aja da mesma forma? Gosta de ficar até tarde atendendo aquela cliente de cima da hora mas reclama se o sócio sai no horário? Tem problema em trabalhar nos feriados? É aberto a novidades e gosta de fazer cursos de atualização ou detesta ir a feiras e não trabalha seu networking?

Se as expectativas não forem alinhadas antes do fechamento da sociedade, pode ser que uma reunião semanal conserte as coisas. O importante é ter consciência de que na maioria das vezes a sociedade é necessária para o crescimento do salão, juntando forças em relação a uma visão comum de futuro. Escolha seu sócio com sabedoria e cerque-se de mecanismos para fazer essa empreitada dar certo.

 E você, já teve um sócio que não deu certo? Compartilhe sua experiência com a gente aqui nos comentários!

Post a Comment