Regras da Anvisa para clínicas de estética

30 de janeiro, 2020

Bem-Estar, Gestão, Joanne Pamplona

Nenhum procedimento estético é livre de riscos. Considerando o crescimento e a procura por serviços no mercado de estética e bem-estar é imprescindível que a empresa e as profissionais estejam alinhadas para quais são as exigências feitas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Pensando nisso, confira quais são as regras da Anvisa para clínicas de estética

 

Confira quais são as normas da Anvisa estabelecidas para a sua cidade

Estar informado sobre a Vigilância Sanitária e suas regras neste setor demonstra ética profissional e consciência ambiental. Atualmente, as normas específicas para estas áreas são definidas por estados e municípios.

 

Portanto, para que você tome as providências da forma correta é imprescindível que você esteja a par de quais são as recomendações específicas para o local em que o seu estabelecimento se situa. 

 

Embora, ainda não hajam normas específicas no Brasil a respeito das atividades em clínicas de  estética sem responsabilidade médica, os serviços prestados são considerados assistenciais de interesse para a saúde. 

 

Por essa razão que o tema sobre estética e embelezamento foi incluído na agenda regulamentória da Anvisa e ainda está em fase de regulamentação.

 

Documentos exigidos para as atividades da clínica de estética

  1. Comprovante de recolhimento dos resíduos perfurocortantes
  2. Registro de monitoramento da esterilização
  3. Manual de boas práticas
  4. Alvará de Autorização Sanitária
  5. Alvará de Localização e Funcionamento
  6. Registro de manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos

 

Hábitos que você pode implementar na sua clínica de estética

As boas práticas a serem adotadas pelos estabelecimentos consistem em um conjunto de medidas que visam garantir a qualidade sanitária no atendimento ao consumidor e segurança do profissional.   

 

Confira as dicas!

  1. Utilizar métodos de esterilização de materiais reconhecidos, com eficácia comprovada e que sejam passíveis de controle e validação. Visto que a esterilização de materiais é uma medida de biossegurança na estética fundamental para evitar a transmissão de agentes causadores de doenças infecciosas, como, por exemplo, HIV, hepatite C e B, através dos instrumentos utilizados; 
  2. O espaço deve oferecer instalações elétricas e hidráulicas em boas condições e  que seja o suficiente para o número de equipamentos;
  3. Iluminação natural ou artificial adequada que permita a realização de procedimentos com segurança e boa condição visual;
  4. Pisos deverão ser de material antiderrapante, resistentes, impermeável e de fácil higienização;
  5. As paredes e mobiliário deverão ser lisos, duráveis, impermeáveis, laváveis e resistentes às soluções desinfetantes;
  6. Usar produtos que contenham no rótulo: nome do produto, marca, lote, prazo de validade, conteúdo, país de origem, fabricante/ importador, composição e finalidade de uso e registro no Ministério da Saúde/ Anvisa;
  7. O profissional deve usar uniforme de cor clara e calçados fechados, manter as unhas curtas e limpas e evitar o uso de anéis, pulseiras e relógios, que dificultem a higiene, bem como lavar as mãos antes e depois de atender cada pessoa;
  8. Os esteticistas precisam prestar atenção à vacinação contra hepatite e tétano e ao uso de equipamentos de proteção individual (EPI – touca, máscara, óculos e luvas descartáveis). As luvas de procedimento devem ser trocadas a cada cliente; 
  9. Higienizar a maca com álcool (70%), antes e depois de cada atendimento;
  10. Cobrir a maca com lençol descartável e fazer a troca a cada cliente;
  11. Dispor de, pelo menos, uma toalha limpa para cada cliente;
  12. Ter lixeira de pedal com saco plástico para descarte de material utilizado nos procedimentos;
  13. Ter embalagem adequada para o descarte de materiais perfurocortantes;
  14. Realizar o gerenciamento de resíduos produzidos pela clínica;
  15. Manter o espaço limpo e arejado;
  16. De acordo com “orientações” da Anvisa, todos os equipamentos, no momento uso, devem estar higienizados, em boas condições de funcionamento e ergonomia adequados. Devem existir em quantidade suficiente que permita a realização da limpeza e esterilização de forma adequada e pelo tempo preconizado, além de passarem por manutenção periódica (ex.: calibração dos aparelhos);
  17. Os serviços de estética e embelezamento não utilizem suas dependências para outros fins, nem sirvam de passagem para outro local (garantir a privacidade do cliente);
  18. Ter em mãos os manuais de instruções de cada aparelho da clínica, além do Manual do Código de Defesa do Consumidor;
  19. Conhecer as leis federais: ato médico, lesão corporal, negligência, Imprudência e Imperícia.

 

Convém esclarecer que quando o profissional esteticista não segue as regras de biossegurança em suas atividades, coloca em risco, também, a sua própria saúde.

 

Fique atento

RDC (Resolução da diretoria colegiada) Anvisa 56/2009 – Proíbe em todo território nacional o uso dos equipamentos para bronzeamento artificial, com finalidade estética, baseada na emissão da radiação ultravioleta (UV).

 

É fundamental que os profissionais dessa área tenham habilidades tanto técnicas quanto humanas, visando o correto atendimento de seus clientes.

 

Agora que você já sabe o que a sua clínica estética precisa para estar alinhada com as diretrizes da Anvisa para esse estabelecimento, verifique quais são as normas estabelecidas para a sua idade e corrija o que não estiver conforme o exigido. 

 


Confira também:

Novidades na estética: quais são as tendências confirmadas para 2020
Vantagens da estética no pré e no pós-operatório
Como calcular o lucro de serviços de beleza e estética
10 dicas para melhorar o faturamento da clínica de estética
Planejamento estratégico para espaços de beleza e estética: como fazer

 

Avatar do autor

Joanne Pamplona Pereira


Joanne possui mais de 20 anos de experiência no mercado da estética, e além disso é massoterapeuta e professora na área.

Matérias relacionadas

Clínica de estética: quais tratamentos não podem ficar de fora!

Bem-Estar

Clínica de estética: quais tratamentos não podem ficar de fora!

Bem-Estar

Clínica de estética: quais tratamentos não podem ficar de fora!


Avatar do autor Joanne Pamplona Pereira

3 de fevereiro, 2020

Como montar uma sala de estética

Carreira e Negócios

Como montar uma sala de estética

Carreira e Negócios

Como montar uma sala de estética


Avatar do autor Bruna Carvalho

23 de dezembro, 2019

Regras da Anvisa para esmalterias e manicures

Gestão

Regras da Anvisa para esmalterias e manicures

Gestão

Regras da Anvisa para esmalterias e manicures


Avatar do autor Patrícia Makiyama

3 de fevereiro, 2020

Regras da Anvisa para esmalterias e manicures

Bem-Estar

Regras da Anvisa para esmalterias e manicures

Bem-Estar

Regras da Anvisa para esmalterias e manicures


Avatar do autor Patrícia Makiyama

3 de fevereiro, 2020

Coronavírus e estética: quais cuidados devem ser tomados

Carreira e Negócios

Coronavírus e estética: quais cuidados devem ser tomados

Carreira e Negócios

Coronavírus e estética: quais cuidados devem ser tomados


Avatar do autor Joanne Pamplona Pereira

18 de março, 2020

Vantagens de formar parceria na estética

Carreira e Negócios

Vantagens de fazer parceria na área da estética

Carreira e Negócios

Vantagens de fazer parceria na área da estética


Avatar do autor Joanne Pamplona Pereira

27 de fevereiro, 2020

Regras da Anvisa para Salão de Beleza

Carreira e Negócios

Regras da Anvisa para salão de beleza

Carreira e Negócios

Regras da Anvisa para salão de beleza


Avatar do autor Bruna Carvalho

21 de dezembro, 2019

Tratamentos estéticos detox para recuperar o corpo depois do Carnaval!

Bem-Estar

Tratamentos estéticos detox para recuperar o corpo depois do Carnaval!

Bem-Estar

Tratamentos estéticos detox para recuperar o corpo depois do Carnaval!


Avatar do autor Joanne Pamplona Pereira

19 de fevereiro, 2020

Assine nossa newsletter