Como calcular comissão de profissionais – Salões de Beleza

Como calcular a comissão dos profissionais de salão

Como calcular comissão de profissionais – Salões de Beleza

Tempo de leitura: 4 minutos

Hoje salões trabalham com o modelo de comissionamento, onde uma porcentagem do pagamento pertence ao dono e a outra porcentagem pertence ao profissional que realizou o serviço. Mas como fazer uma divisão justa e ainda sim manter meu profissional estimulado e engajado com o meu Salão de beleza?

 

Vamos ver um pouco sobre como fazer um pagamento justo ao profissional sem sair no prejuízo, como fazer o cálculo para definir a comissão e também como manter o seu profissional engajado, vamos lá!

 

 

Porque definir uma comissão justa é importante?

 

 

Definir uma comissão justa é importante, pois é o pagamento do seu profissional e como todo mundo ele também não gosta de trabalhar muito e não receber o que merece.

 

Um pagamento justo demonstra reconhecimento pelo trabalho realizado, quando realizamos algo que gostamos e somos recompensados por isso é uma sensação muito boa.

 

Isso gera muita motivação para continuar fazendo um trabalho bem feito, é a mesma coisa de ver o seu salão lucrando muito mais que o mês passado, ou com o dobro de clientes o primeiro semestre para o segundo.

 

Nos dias de hoje para contratarmos um bom profissional é caro e difícil, demanda muito tempo e procura.

 

Quando falamos tempo para salões de beleza é algo precioso, então outro motivo muito importante para definir uma comissão justa é que ela ajuda a manter o seu profissional no seu espaço.

 

E também temos o outro lado, o salão não consegue bancar todos os custos se a maior parte do lucro for para o  profissional, devido a isso precisamos descontar os custos de produtos e os custos administrativos, nesse próximo tópico vamos conversar um pouco mais sobre isso, fique tranquilo.

 

 

O que fazer com os custos do meu Salão de Beleza?

 

 

Agora vamos colocar em pauta os custos que os Salões de beleza tem, e quando falamos em custo temos que levar em consideração dois pontos muito importantes:

 

1 – Custos administrativos

 

Para o salão continuar funcionando ele precisa pagar suas contas administrativas, o custo dos produtos utilizado nos procedimentos e também investir em melhorias para sempre atrair novos clientes. E quem vai arcar com toda essa despesa?

 

É simples,para fazer cálculo da comissão devemos pensar que:

 

O que dividimos no comissionamento é apenas a divisão do lucro, mas a despesa ainda existe e tem que ser paga por alguém, esse alguém é o dono do negócio. Então nada mais justo que descontar todo o gasto gerado pelo serviço no valor do serviço e com o lucro realizamos a divisão de recebíveis.

 

2 – Tributos

 

Quando falamos sobre comissionamento não podemos deixar de fora a Lei do salão Parceiro.

 

Desde sempre os salões de beleza enfrentam algumas barreiras na hora de comissionar o seu profissional, pois toda a movimentação financeira do salão era contabilizada na conta do dono, logo quem deveria declarar imposto por essa movimentação era o proprietário, mesmo que uma grande parte do total não pertencesse a ele.

 

O intuito da nova lei é de redução da carga tributária, reduzindo também o risco de processos trabalhistas

 

Hoje diversas empresas já disponibilizam ferramentas para você ter mais praticidade na hora de fazer a divisão do comissionamento para os seus profissionais, com sistemas, com maquininhas de cartão específicas para o mercado da beleza.

 

 

As 3 etapas fundamentais para definir a comissão!

 

 

Já vimos um pouco sobre como estruturar a comissão sem levar prejuízo, mas é fácil falar e não ensinar como implementar, então agora vamos aderir ao modelo em 3 etapas fundamentais:

 

1 – Explique o processo comissão

 

Para melhor explicar ao seu profissional que o cálculo da porcentagem não é algo injusto, faça algumas planilhas com relatórios de gastos de tal forma que ele entenda o quanto o salão tem de despesa por mês.

 

É de extrema importância juntar o máximo de dados sobre gestão e custo de produtos para mostrar que a porcentagem não é um número que foi inventado sem ter uma base de cálculo, com dados fica muito mais fácil de explicar o porquê de ele receber aquela porcentagem como comissão.

 

2 – Processo de pagamento

 

Agora que o profissional já sabe o por quê de ele receber tal quantia é importante estimular ele a produzir cada vez mais, o comissionamento em si já é uma ferramenta para estimular a produção e manter o profissional sempre engajado mas não deixe ela ser a única.

 

Para ter um maior engajamento estipule metas mensais com uma bonificação para quem atingir essa meta, podendo ser um valor fixo ou variável, e lembre-se que quando falamos de metas elas não podem ser surreais, pois metas que são impossíveis de serem alcançadas acabam tendo o efeito contrário e desestimulando o seu profissional.

 

3 – Bom relacionamento

 

Com a estipulação de metas a gente induz o desafio ao nosso profissional e como em qualquer competição o clima pode ficar pesado entre os profissionais, então é fundamental gerenciar o bom relacionamento entre eles para que o ambiente de trabalho não fique com o clima pesado atrapalhando o rendimento do salão.

 

Enfim, essas são as 3 etapas para implementarmos um modelo de pagamento adequado para salões de beleza!

 

 

Colhendo os resultados

 

 

Por fim, já temos um processo completo de comissionamento implantado, basta colher os resultados. Ter os seus profissionais engajado com seu negócio faz com que a produtividade do salão de beleza aumente e o serviço tenha uma melhor avaliação.


Ter processos estruturados e planejamento de crescimento é uma grande vantagem competitiva para os salões de beleza, pois você sempre terá novas táticas para melhorar o desempenho do seu espaço, seja estimulando o seu profissional a produzir mais, seja atraindo clientes ou até mesmo participando de eventos para buscar novidades.

Post a Comment