O estudo de Aristóteles contribuindo para o enriquecimento do Visagismo

O estudo de Aristóteles contribuindo para o enriquecimento do Visagismo

Tempo de leitura: 2 minutos

 

Aristóteles foi um grande filósofo grego, e seu conceito de beleza é até hoje largamente utilizado dentro do Visagismo, pois compõe uma categoria de estudos que são utilizados na harmonização da imagem pessoal.

 

“É de grande importância para o profissional do Visagismo entender o fundamento da proporção e saber quando deve ser aplicado a manipulação para controlar o que se mostra exagerado ou em conflito.”

 

No Visagismo, segundo o professor de Visagismo virtual Robson Trindade, por se tratar de uma ciência fundamentada em diversas áreas, podemos encontrar inúmeras referências para estudo nos mais variados campos como: filosofia, geometria, psicologia entre outros tantos.

 

Aristóteles nasceu em Estagira (Grécia) e teve o filósofo Platão como seu mestre até a morte desse em 347 a. C.. Naquela época, era muito comum os pensadores e filósofos gregos seguirem o comando de outros que já tinham dado início a estudos e pesquisas.

 

E qual é a ligação do filósofo Aristóteles com o Visagismo? No Visagismo, sua obra é estudada na concepção de beleza e em relação ao olhar do outro.

 

Segundo a teoria aristotélica, que vai na contramão de seu mentor Platão, as principais formas de beleza são a ordem, a simetria e a definição clara, ou seja, a beleza está diretamente relacionada à ideia de simetria e proporcionalidade.

 

Ou seja, tudo o que envolve a criação humana é belo seguindo os critérios aristotélicos. Esse tipo de conceito tornou-se uma realidade concreta do que deveria ser classificado como belo e feio.

 

Para o Visagismo muito do que se defendeu dentro dessa premissa foi se perdendo e modificando ao longo das gerações e épocas, afinal, já passamos por diversos tipos de concepção de padrões de beleza.

 

Tanto a simetria como a assimetria precisam ser compreendidas pelo Visagista para que se possa realizar o trabalho de harmonização da imagem em sua plenitude.

 

Em Simetria e assimetria facial Visagismo, 2014, a simetria é uma qualidade da imagem na sua semelhança.

 

Afinal, para um sujeito ter interesse na ciência Visagista é preciso ter o despertar interior em buscar mudanças e opções novas para o sucesso e realização pessoal.

 

Para Bárbara Urias, em Visagismo: quebrando o mito do rosto simétrico, 2014, muitas pessoas acham que a beleza está na simetria entre os lados do rosto, mas o importante mesmo é ter harmonia entre os elementos da face.

 

Portanto, entendemos que é de grande importância para o profissional do Visagismo compreender os fundamentos de Aristóteles e saber quando deve se manipular a imagem de alguém no intuito de harmonizar o que se encontra em conflito.

 

A presença dessa técnica vai além da ciência que estamos analisando, o que confirma mais ainda a sua eficácia dentro de tantos trabalhos.