O que impede o progresso do seu negócio

O que impede o progresso do seu negócio

Tempo de leitura: 4 minutos

Quando essa afirmação é feita em forma de pergunta aos donos de negócios, apesar das respostas serem diferentes, basicamente elas se baseiam quase que unanimemente sobre questões administrativas, aspectos técnicos ou fatores externos como política, mercado, concorrência, etc. Obviamente que todos esses componentes exercem impacto, porém raramente o gestor se apresenta como um dos fatores, pode ser até compreensível sob certo aspecto.

Entretanto, variavelmente, o grande responsável pela falta de progresso e de crescimento do negócio é o próprio empreendedor, são as suas decisões ou a falta delas que mais impactam o desempenho do negócio.

Começar um negócio exige superar uma série de obstáculos, porém a medida que o negócio cresce e evolui, ele exige que um conjunto de novas competências sejam desenvolvidas e ao contrário do que se pensa, não tem a ver com competências técnicas e sim com competências comportamentais.

O fator crucial é o modelo mental do próprio empreendedor, ou seja, suas limitações serão a longo prazo as limitações do próprio negócio. Vejamos então, dentre os principais aspectos nessa área, o que mais impede e como superar essas limitações.

O primeiro desafio:  Mudar a sua forma de encarar a própria empresa –  seu mindset precisa evoluir em termos de rever certas convicções sobre o próprio papel frente ao negócio, muitos empreendedores acham que a empresa é feita para servi-lo, quando na verdade o negócio irá dar retorno na medida e proporção da sua dedicação, e a medida que ele cresce irá exigir ainda mais as chamadas competências “softs”, como inteligência emocional, liderança, saber delegar, comunicação assertiva, etc.

A metáfora é que você deve estar à frente da sua empresa, o que nesse caso não significa estar lá todo dia, abrir e fechar, e sim definir os rumos, tomar decisões no presente sabendo o que se quer do futuro.

O segundo desafio: Mudar os próprios hábitos – a empresa entra na zona de conforto porque o dono entra na zona de conforto, não há mudança sem mudança, por mais redundante que possa parecer. Quando chega na hora h, o próprio empreendedor não é capaz de mudar suas próprias atitudes tão arraigado estão os hábitos, os seus hábitos diários ajudaram a definir os hábitos da empresa e constituía cultura do seu negócio, o que você disse ou não disse, o que não tolerou e o que tolerou criou o ambiente do seu negócio, e mudá-lo exige mudança consciente do hábitos que você vem praticando.

Segundo cientistas comportamentais, um novo hábito demora em torno de 21 a 90 dias para ser internalizado e praticado de forma automática, como o hábito de escovar os dentes, por exemplo, ou de praticar atividade física, dependendo do tipo de comportamento e da força de vontade da própria pessoa o tempo de esforço será maior ou menor.

O terceiro desafio: Definir metas e objetivos – raramente encontro pessoas, profissionais ou empreendedores que tenham claramente metas e objetivos bem definidos, como costumamos dizer no processo de coaching, metas neurologicamente corretas, e o que seria isso?

Ter metas e objetivos definidos em qualquer área, na empresa ou pessoalmente precisa cumprir certos requisitos ou ficam difícil de ser alcançadas, como aquelas resoluções de virada de ano, que logo são abandonadas, para não cair nessa armadilha use o seguinte acrônimo do inglês SMART onde:

S – Específica, sua meta precisa ser específica, clara e positiva. Ex. Atingir 100 clientes novos, ou aumentar o ticket medido em R$ 50,00, crescer o faturamento em x%.

M – Mensurável – Sua meta precisa ser capaz de ser medida, mensurada, é preciso definir indicadores que você está atingindo, que a estratégia está certa. Se o faturamento precisa crescer x% no ano, como vamos dividir esse faturamento por mês, semana e dias e acompanhar.

A – Atingível – A meta ela deve ser desafiadora suficiente para que você saia da sua zona de conforto, mas deve ser atingível. Nada de definir metas nem fáceis demais nem impossíveis de serem alcançadas.

R – Relevante – A meta precisa ser importante ser coerente com os objetivos, deve trazer benefícios que justifique atingi-la a todos os envolvidos.

T – Temporal – A meta precisa ter prazo definido, isso determina quando o alvo dever atingido.

Ex. Aumentar o faturamento em x% no ano 2019. Distribuir o valor pelos meses, controlar o faturamento, redistribuir os valores, e mais importante definir as ações que serão feitas para atingir o objetivo. Ações de marketing, premiação equipe, etc.

O quarto desafio: Autorresponsabilidade pelos próprios resultados – Enquanto não assumirmos o controle pelos nossos próprios resultados não podemos transformar o próprio destino, não controlamos algo pelo qual não nos sentimos responsáveis.

Muitas pessoas ao enfrentar uma situação difícil, seja administrar a própria empresa ou a vida terceirizam seu controle colocando o resultado como responsabilidade de fatores externos. Controle tudo que você pode controlar e aceite o que não pode, e não o contrário.

Evidente que decisões políticas, controles administrativos e a concorrência exercem influência sobre o negócio, mas nada é tão decisivo quanto a suas próprias atitudes. Ser o protagonista do seu negócio exige ser autorresponsável pelas próprias escolhas e decisões que irão definir o rumo do seu negócio e da sua vida.

O quinto desafio:  Aperfeiçoar a forma de se comunicar – cerca de 80% dos problemas que você enfrenta no dia a dia estão de alguma forma ligados a qualidade da comunicação.

Importante dizer que comunicação é composta basicamente pelos seguintes elementos: a mensagem, a forma é pelo receptor, você precisa pensar nesses 3 elementos, por isso, quando for falar com um parceiro ou colaborador, pense no que vai dizer, na forma de dizer (não adianta você ter razão sobre o que está falando, mas perder a razão pelo jeito, pela forma como fala) e por fim, para quem você está falando, pessoas diferentes normalmente requerem formas diferentes.

Os dois erros principais nesse quesito ocorrem quando o gestor ou explode com o infrator e a mensagem não é absorvida, pelo contrário, como ser humano a reação e ter ainda mais do mesmo comportamento, ou o outro extremo, quando não se diz nada.

Lembre-se que uma das suas responsabilidades como dono é definir os limites dos comportamentos que serão tolerados e isso implica comunicar quais são.

Quando for questionado sobre o que pode estar impedindo o progresso do seu negócio, faça uma reflexão sobre o que, talvez, você possa estar ou não fazendo que pode ser um obstáculo para o crescimento do seu negócio e lembre-se a o limite do seu negócio está diretamente relacionamento aos seus próprios limites!

Reflita!

Abraço,

Vagner Torres