Tudo o que você precisa saber para se tornar autônoma e abrir a sua clínica estética!

Tudo o que você precisa saber para se tornar autônoma e abrir a sua clínica estética!

Tempo de leitura: 3 minutos

Sua vida profissional e pessoal está super equilibrada. Com pouco mais de 30 anos, você já assumiu a gerência administrativa do espaço de beleza em que trabalha há cinco anos e se sente satisfeita por ter investido nos cursos técnicos na área da beleza e ter seguido essa área. Em casa, o marido reparte as despesas e até ajuda nas tarefas domésticas, além de levar o seu filho para a escola todos os dias.

Com essa situação tranquila, você sente que esta é a hora de dar um impulso na vida profissional e, quem sabe, até começar a pensar na casa própria. Faz poucos meses que está à frente do espaço de beleza, mas percebe que, se o negócio fosse seu, muitas coisas poderiam ser melhores. Você até coloca as sugestões para a dona, mas ela não parece interessada.

Já pensou em trabalhar como profissional autônoma?

Que tal pensar em se tornar autônoma e tocar o próprio negócio? Você já tem alguns pontos essenciais para alguém que deseja tocar um empreendimento: conhece e gosta do ofício e, além disso, consegue visualizar alternativas para garantir o sucesso do negócio. Você pode se sentir amedrontada com as notícias que tem lido sobre economia, que de fato está em retração.

A questão é que alguns setores, mesmo num cenário econômico morno, tendem a se manter em crescimento. É o caso da alimentação e também da área de beleza. No Brasil, mesmo em tempos normais, as pessoas colocam os assuntos de beleza entre os primordiais, em especial para se apresentarem profissionalmente.

Imagina uma gerente fazer uma  apresentação de Power Point com o esmalte todo descascado ou com o cabelo precisando ser tingido. Não dá para imaginar, não é mesmo? Agora, você já pensou como serão esses cuidados para comparecer a uma entrevista de emprego? Ou seja, mesmo com economia em alta ou em baixa, será preciso manter a elegância e a boa aparência.

Como assumir um negócio próprio?

A primeira coisa a fazer é um plano de negócios. Quanto mais aprofundado o planejamento, maior a possibilidade de sucesso. Vamos levantar algumas questões essenciais para ajudá-la a refletir e a construir o seu plano:

1)    Porte do empreendimento

Em seu plano de negócio, é preciso determinar, antes  de mais nada, o tamanho de empreendimento você vai querer implantar. Essa decisão responderá se vai precisar ou de agregar um sócio investidor. Existe um break-even para cada negócio, ou seja, um ponto X em que o investimento inicial começará a retornar. Se você entrar no empreendimento apenas com o trabalho e o seu sócio com o capital, você deve determinar, desde o princípio, quanto será sua remuneração como gerente. Só quando vier o lucro é que esse será repartido entre ambos, ou seja, a remuneração do trabalho é uma e a do investimento é outra.

2)    Posicionamento

De nada adiantará oferecer tratamentos inovadores e demorados, por exemplo, se a clientela for proveniente de uma região de escritórios. As clientes não terão tempo para utilizar esse tipo de serviço. Será melhor para você pensar em ter mais profissionais de manicure, porque poderá esperar um acúmulo de unhas por fazer no horário do almoço e antes e depois do horário comercial.

3)    Legislação específica

Um espaço de beleza para oferecer serviços além de manicure e cabeleireiro, ou seja, serviços de beleza como limpeza de pele, depilação, drenagem linfática, aplicação de laser, etc., precisa ter um responsável técnico (RT), com pós-graduação ou especialização em alguma área de estética. Sem isso, a Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) não concederá alvará para funcionamento.

4)    Legislação geral

Um espaço de beleza é uma empresa prestadora de serviços e, como tal, precisa pagar ISS (Imposto sobre Serviços) para a Prefeitura do município onde está sediada. Para colocar uma placa com o nome do estabelecimento, também existe uma taxa a ser paga à Prefeitura. Um bom contador pode ajudar você a entender essas questões de tributação. Em geral, para uma empresa de pequeno porte, o usual é que esse profissional cobre um salário mínimo mensal.

5)    Concorrência

Quais são as clínicas estéticas estabelecidas na mesma região em que pretendo me instalar? Que tipo de serviços elas oferecem? Qual será o meu diferencial para atrair inicialmente uma parcela da atual clientela existente? Essas são perguntas cruciais dentro de um plano de negócios bem estruturado.

6)    Fidelização

É preciso prever que muitas clientes aparecerão pela primeira vez em seu estabelecimento simplesmente por curiosidade, para saber o que oferece de melhor em relação ao lugar que costumam frequentar. Ou seja, clientes que chegam pela primeira vez nem sempre voltam, se você não tiver uma estratégia para fidelizá-los. Aqui talvez esteja a diferença entre ter sucesso ou não em um empreendimento novo: atrair clientes e fazê-los voltar sempre.

 Então, mais segura para tomar a sua decisão? Desejamos que sim! Para saber mais sobre empreendedorismo na área da beleza, acesse nosso site!